Pesquisar

sexta-feira, 20 de março de 2015

Minhas Razões, Tuas Razões

Minhas razões, tuas razões

Paulo Gaudêncio

resenha por Diogo Besson


Um livro que fala sobre relacionamentos e conflitos.


ficha:
ISBN: 8575554336
ISBN13: 9788575554333
Nº de páginas: 104
Editora: Palavras e Gestos
Autor: Paulo Gaudencio
Ano: 1995 / 1º edição




     Minhas razões, tuas razões é um livro do psiquiatra brasileiro Paulo Gaudencio, que trata de conflitos básicos de todo relacionamento. É uma obra velhinha, de 1994, que tem a característica de nunca sair de moda, visto que esses conflitos acontecem, de forma geral, dentro de toda relação e em qualquer momento histórico.


     Posso dizer que foi um livro rápido, lido em cerca de 6 horas, aproximadamente. Não sei até agora se curti ou não entrar em contato com essa obra. Inicialmente tive prazer de ver que o Gaudencio usa de argumentos lógicos e, em diversas partes, científicos, para construir uma teoria sobre o funcionamento do mundo psíquico das relações em casal. As culpas, os medos, a psicanálise toda... Acontece que, nos capítulos finais, essa rigidez se perde, dando lugar a um jogo de cintura característico das obras de auto-ajuda, onde a falha está sempre na atitude do leitor em não seguir os caminhos apontados pelo autor.

     Outras coisas que me fizeram torcer o nariz para o final do livro foram os "lugares comuns", como o exercício do diálogo e o reconhecimento do próprio quinhão de culpa no fracasso dos relacionamentos. Isso é novidade?

     Por outro lado, em nenhum momento Gaudencio promete uma fórmula mágica ou algo fantásticamente fácil para se exercitar no sentido da convivência humana pacífica, o que torna essa publicação algo tangível para quem a adquire, fincando o pé na realidade e botando o dedo na ferida narcisista das partes que cooperam no fracasso.

     Por que você deveria ler essa obra? Porque sim. Ela é simples, tem um projeto gráfico comum a muitas obras de leitura ágil, trás informações úteis para estudantes da dinâmica de relacionamentos e não deixa de ser acessível, com linguagem fluída, para qualquer público.

     Por que não ler? Porque não. É só mais um livro de auto-ajuda, que vai requerer uma mudança muito além de profunda no seu "ser" para que sua atitude mude e seus relacionamentos dêem certo. Vá fazer psicoterapia, se esse é seu foco.